Telefone

(22) 2796-6122

E-mail

redepetro-bc@redepetro-bc.com.br

Endereço

Estrada Virgem Santa 657, Botafogo, Macaé(RJ)

Petróleo

Representantes de empresas de petróleo e gás que operam na Bacia de Campos se reuniram nesta terça-feira (19) na Avant Première Brasil Offshore, um encontro que apresentou os desafios e oportunidades do setor em Macaé, no interior do Rio.

Autoridades e representantes de instituições da área também estiveram no evento.

O evento foi um preparatório para a Feira Brasil Offshore que é realizada a cada dois anos e, em 2019, será entre os dias 25 e 28 de junho. A expectativa é que a feira gere R$ 300 milhões em novos negócios.

De acordo com Daniel Pereira, gerente da feira Brasil Offshore, a reunião foi dividida em dois painéis. No primeiro, foram apresentadas as visões das empresas que operam na Bacia de Campos e, no segundo, apresentadas as visões de autoridades e instituições como a Firjan, o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP) e o Ministério de Minas e Energia.

Na abertura do evento, a jornalista Christiane Pelajo falou sobre os desafios e oportunidades do setor, fazendo uma introdução ao cenário econômico, político e internacional.

No primeiro painel, estiveram presentes o presidente da Shell Brasil, André Araújo; o presidente da BP Energy Brasil, Adriano Bastos; e o Country Manager BHGE e diretor da Abespetro, Alejandro Duran.

Já no segundo painel, estiveram o secretário geral do IBP, Milton Costa; a gerente de Petróleo, Gás e Naval do Firjan, Karine Fragoso; o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do MME, Marcio Félix; e o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio.

O gerente da feira Brasil Offshore Daniel Pereira ressaltou que a feira é importante para o setor e é onde muitos empresários buscam fornecedores e fecham negócios para atuação na área.

O prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, recebeu a visita do presidente da Petrobras, Pedro Parente, nesta terça-feira (12), no gabinete do paço municipal. O encontro sela a parceria entre o município e a empresa estatal nesses 40 anos de Bacia de Campos. A diretora executiva de Exploração e Produção, Solange Guedes; o gerente de Operação e Manutenção de Produção na Unidade de Operações de Produção e Exploração da Bacia de Campos (UO-BC/OPM), Marcelo Batalha; o vice-prefeito, Vandré Guimarães; secretários e empresários de Macaé participaram da reunião. A vinda de Parente à região foi marcada pelas comemorações dos 40 anos da Petrobras na Bacia de Campos. De acordo com o presidente da empresa, foi uma visita completa, iniciada pela plataforma P-56, nesta segunda-feira, passando pela base de Imbetiba, onde ele se reuniu com a força de trabalho e, finalizada com uma reunião no gabinete de Dr. Aluizio. Para o prefeito foi uma reunião extremamente generosa, uma agenda inusitada, que marca novos eventos e novos investimentos. Presente ao encontro, empresários e pessoas que viveram o petróleo nos últimos 40 anos e que contaram um pouco da importância e perspectiva dentro do município. “A região está pronta para o recomeço, se preparando para um novo ciclo fundamental não só para a região mas para todo o Brasil. Isso demonstra o vigor que a região ainda tem. Temos sinais diretos de investimentos de U$ 3,5 bilhões pela Petrobras junto com a Exxon. Temos o anúncio da licitação para a reforma de 39 plataformas, gerando três mil empregos diretos. Um recomeço com eficiência, competência, com novos empregos e evitando o desperdício”, pontuou Dr. Aluízio. Para Pedro Parente, essa visita marca os 40 anos da Bacia de Campos. “Apenas viemos trazer à prefeitura e ao representante do poder público nosso agradecimento pela forma com que a cidade nos recebeu nesses últimos 40 anos e que outros 40 anos também sejam positivos na geração de riquezas. Vamos apresentar nos próximos dias a revisão do Plano de Negócios, que irá conter investimentos relevantes na região no ponto de vista qualitativo. A visão é muito positiva”, explicou o presidente da Petrobras.O Comitê Gestor da Rede Petro-BC se reuniu on-line na noite desta quinta-feira, 02/07, para discutir o panorama de negócios na região e apresentar as ações previstas para o início deste 2ª semestre de 2020. Glauco Nader, um dos coordenadores da Rede Petro-BC, iniciou a exposição de dados sobre o cenário vigente nas áreas de óleo e gás. Índices de variação dos preços do barril de petróleo, evolução da produção onshore e offshore relacionada ao pré-sal e ao pós-sal, distribuição na produção de petróleo e gás natural por Estado e por operador, foram alguns dos temas que serviram para o grupo vislumbrar possíveis caminhos de fomento para a cadeia produtiva de petróleo. Para o grupo, uma das opções para o fortalecimento dessa cadeia produtiva, sobretudo no Estado do Rio de Janeiro, advém da capacidade dos atores envolvidos no processo de gerar negócios oriundos, principalmente, do gás natural, que é abundante atualmente.  Nader citou a fala otimista do secretário de petróleo, gás e biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, José Mauro Ferreira Coelho, que posicionou o Brasil como um dos cinco maiores produtores e exportadores de petróleo para os próximos dez anos. A análise também é positiva no mercado de exportações de óleo como forma de superação neste período de pandemia. Além disso, o diretor da Delfiss Engenharia, Marcus Vinícius Figueiredo Carvalho, destacou que o setor de manutenção possui alto nível de demanda reprimida em virtude das interrupções de produção no mercado atual. Projeções de cenário e possíveis soluções foram debatidas no encontro com vistas a garantir o empenho da Rede Petro-BC em antecipar estudos relacionados ao impulso do setor de óleo e gás. Compreender a economia local, a capacidade da região e dos fornecedores se torna instrumento relevante para os associados atuarem de forma assertiva para fortalecer a indústria e gerar mais negócios no futuro.   Próximas ações da Rede Petro-BC A assessora administrativa da Rede Petro-BC, Verônica Fang, apresentou as próximas ações que iniciam as atividades neste segundo semestre de 2020. No próximo dia 14 de julho, ocorrerá a live B2B, em parceria com o Sebrae. O evento foi planejado a partir da pesquisa realizada pela Rede Petro-BC junto aos associados, que demonstraram o interesse em palestras sobre a relação no mercado Business to Business (B2B). Em seguida, dia 16 de julho, haverá a Negociação Virtual entre os membros da Rede Petro-BC. O encontro nasceu da necessidade de conhecimento sobre as atividades realizadas pelas empresas dos associados e as possibilidades de geração de negócios, vendas e parcerias. Já em 11 de agosto, será realizada a Rodada de Negócios com a Prolagos, grupo com concessão nacional de prestação de serviços complementares às empresas dos associados da Rede Petro-BC. Guia de respostas rápidas Rede Petro-BC A reunião foi encerrada com a apresentação do guia disponível no site da Rede Petro-BC, que disponibiliza informações sobre comércio exterior, crédito, emprego, medidas locais, regulamentação e tributos neste momento de pandemia do Covid-19. O objetivo é se tornar uma ferramenta útil de pesquisa aos empresários da região. Acesse https://guiaderespostarapida.redepetro-bc.com.br/.Na última terça-feira, 14 de julho de 2020, aconteceu um Talk online sobre “Como alavancar o B2B (Business to Business) no ambiente digital”, uma parceria Sebrae e Rede Petro-BC. O palestrante Lucas Souza, pós-graduado em BI pela PUC e sócio fundador da Bel Partner, usou uma linguagem simples, exemplificando os conceitos e tirando dúvidas dos participantes. O evento fez parte da programação da Maratona Sebrae Rio Inovação, com temas focados na inovação para os negócios. O coordenador do Sebrae região Norte Fluminense, Gilberto Soares, participou da abertura do evento. “Aceitamos realizar o Talk atendendo à demanda dos associados da Rede Petro-BC, cujo tema é importante no relacionamento das empresas. A transformação digital está acontecendo no ambiente corporativo, por isso é de suma importância que o segmento de Óleo e Gás se adeque a essa tendência”. Segundo Maíra Campos, coordenadora de Petróleo e Gás do Sebrae, o conhecimento de B2B pode melhorar a competitividade e produtividade no setor. “O setor de Petróleo e Gás não estava acostumado a trabalhar dessa forma digital, mas esta é uma alternativa para a realidade que estamos vivendo hoje. Então, precisamos nos adequar e gerar a fluidez que tínhamos no presencial, com as possibilidades que podemos “, reforçou Maíra. A potência do mercado virtual Na apresentação, Lucas Souza, destacou os números que mostram a representatividade do mercado virtual, o crescimento da procura das pessoas por essas alternativas e como podem gerar um reflexo positivo na área comercial das empresas. O processo de compra e venda no ambiente virtual, Google Trends, Google Meu Negócio, Google Ads, SEO, Facebook Ads, Linkedin e Youtube foram temas compartilhados com os participantes do Talk. “Ter uma presença digital forte não é mais opcional. Não dá para adiar essa transformação digital. O objetivo é facilitar a comunicação final com o cliente, então temos que olhar, fazer as adaptações e oferecer para o time comercial da empresa essas ferramentas”, disse Lucas Souza. Dicas Em um dos momentos do Talk, Lucas apresentou seis dicas que auxiliarão, com simplicidade, a adequar seu negócio ao virtual. 1-     Estude e aprenda o que vai fazer a diferença para seu negócio; 2-     As ferramentas digitais tem que servir ao seu negócio e não o inverso; 3-     O orçamento é permissivo e deve caber no seu bolso; 4-     Trace objetivos e busque mídia reativa (Google Ads) – vai te dar fôlego para fazer resultados mais imediatos; 5-     Pense no ZMOT (Zero Moment of Truth) – se você não conhecesse sua marca, você compraria? 6-     Mensure! Anote os negócios vindos do digital (caderno, excel, tanto faz! Só não deixe de fazer) para saber o seu ROI (Retorno Sobre o Investimento). A consultora Jéssica Rangel dos Santos, do Sebrae Norte Fluminense, falou da assessoria disponível que a Regional oferece para os empresários. “Temos um programa voltado para as mídias sociais com objetivo de atingir novos mercados, melhorar o posicionamento da empresa e oferecer consultorias de forma subsidiada. Estamos à disposição para ajudar”. “Quero agradecer a essa equipe fantástica da Regional Norte pela organização deste evento. O posicionamento no mercado possibilitará fazer negócios de empresa para empresa. Não podemos perder nenhum negócio. Precisamos pensar em como nosso cliente nos vê, como ele gostaria de receber nosso produto ou serviço”, finalizou a coordenadora do Sebrae, Raquel Abrantes de Figueiredo.