Rede Petro-BC solicita apoio do prefeito sobre crise no mercado de petróleo

Representantes da Rede Petro – Bacia de Campos estiveram reunidos, na última quarta-feira (18/06), com o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio. O objetivo foi solicitar apoio do Executivo para diminuir os impactos da inadimplência, que as micro e pequenas empresas do setor de Petróleo, Gás e Energia vêm sofrendo desde o ano passado.

 

Além do prefeito, também esteve presente no encontro o subsecretário municipal de Indústria e Comércio e presidente do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, Vandré Guimarães, que também está acompanhando de perto a situação. Na ocasião, os empresários manifestaram a sua preocupação, já que até mesmo empresas que antes pagavam em dia agora estão deixando de efetuar os pagamentos. “O ano de 2014 está sendo muito complicado para as micro e pequenas empresas, que estão demitindo grande parte de seus funcionários e muitas correm o risco de fechar as portas. Estamos fazendo o possível para evitar que esta situação se resolva o quanto antes”, declarou Evandro Cunha, um dos coordenadores da Rede Petro-BC.

 

Segundo os representantes da instituição, as empresas continuam emitindo notas fiscais, gerando ISS para o município, mas não recebem das terceirizadas. “Nossa intenção é solicitar que a Prefeitura analise uma alternativa para não penalizar e renegociar estes pagamentos de ISS por parte das empresas que estão em dificuldades financeiras”, continuou Evandro.

 

De acordo com Dr. Aluízio, 2014 está sendo difícil para todo o país, tanto econômica quanto politicamente. “Nossa expectativa é que 2015 seja melhor, pois este será um ano realmente complicado. Com relação a inadimplência quanto ao pagamento de ISS, vamos analisar esta situação, nos reunir internamente e elaborar estratégias para evitar que esta situação atinja níveis ainda maiores”, pontuou o prefeito de Macaé.

 

Desde o início do ano, a Rede Petro-BC vem se posicionando a respeito da inadimplência no mercado de Petróleo, Gás e Energia, que afeta toda a região. Em abril, a instituição entregou um documento a Petrobras, solicitando que a estatal avaliasse a situação e se posicionasse a respeito diante das empresas contratadas. Já em maio, com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Macaé (ACIM) e da Comissão Municipal da FIRJAN, a rede de empresários elaborou um documento à MPE Montagens e Projetos Industriais, uma das terceirizadas inadimplentes.

 

A situação atinge boa parte das associadas da Rede Petro-BC, que realizou um levantamento, detectando que 20% das empresas que compõem a instituição possuem valores a receber de terceirizadas. O número é preocupante e, somados, os débitos são da ordem de R$ 8 milhões. Através das ações que vem sendo feitas, além de encerrar os impactos da inadimplência, a instituição espera ainda poder resgatar os ativos das empresas prestadoras de serviços e locação de equipamentos, que estão retidos em algumas das terceirizadas, que possuem pagamentos atrasados. Fonte: Rede Petro-BC – Ive Talyuli
Créditos da foto: Assessoria de Imprensa Rede Petro-BC
]]>

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*