BNDES financiará 1ª unidade de etanol de segunda geração do mundo

A diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 207,7 milhões para a construção de uma unidade de produção de etanol de 2ª geração (2G) a partir da biomassa da cana-de-açúcar. Será o primeiro projeto no mundo que utilizará tecnologias para conversão do bagaço e da palha da cana em escala industrial totalmente integradas ao processo de etanol convencional, obtido a partir do caldo da cana-de-açúcar (1G).
 
O empreendimento será realizado em um prazo de dois anos a partir do segundo semestre de 2013 e os recursos serão desembolsados por meio do BNDES PSI Projetos Transformadores e da linha Investimentos Sociais. Os empreendimentos apoiáveis pelo programa são aqueles com elevada capacidade tecnológica e produtiva em setores de alta intensidade de conhecimento e engenharia, e que induzam encadeamentos e ganhos de produtividade e qualidade.
 
A nova unidade industrial será construída na Usina Costa Pinto, em Piracicaba (SP), e terá capacidade anual de produção de etanol 2G de 40 milhões de litros. O empreendimento é de propriedade da Raízen Energia, uma associação entre a Cosan, grupo brasileiro de energia e infraestrutura, e a Shell. O projeto apoiado pelo BNDES possibilitará maior produtividade por hectare de cana plantado, contribuindo para a redução da necessidade de expansão da área agrícola para a produção de biocombustíveis.
 
Na nova usina, o processo produtivo de etanol 2G será integrado ao processo de produção de etanol 1G e englobará as seguintes etapas: (1) pré-tratamento; (2) hidrólise enzimática; (3) fermentação; e (4) purificação. As duas últimas tecnologias já são utilizadas em escala comercial na produção do etanol de primeira geração, enquanto as duas primeiras serão desenvolvidas com base nos testes realizados por parceiros tecnológicos no Brasil e no exterior.
 
Outros apoios – Além desta operação, o BNDES já aprovou financiamento a quatro projetos destinados ao desenvolvimento de Etanol 2G, no valor total de R$ 991 milhões, todos eles no âmbito do Plano Conjunto BNDES-Finep de Apoio à Inovação Tecnológica Industrial dos Setores Sucroenergético e Sucroquímico – PAISS.

Fonte: Redação TN/ Ascom BNDES

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*